domingo, 15 de novembro de 2009

“O Ano do Pensamento Mágico"

A estréia do monólogo: “O ano do pensamento mágico”, com Eunice Muñoz, a grande dama do teatro português, em seu retorno ao no Teatro Nacional D. Maria II, foi maravilhosa.
A sala estava cheia, as espectativas altas, havia uma excitação no ar, na seleta plateia de convidados da classe teatral e, amigos. Havia também, uma imensa torcida para que tudo saisse bem, os comentários a volta eram todos de incentivo.
Não estive na estréia, dessa peça, em Nova York com a atriz Vanessa Redgrave, nem consegui ver esse texto, com a amiga Imara Reis, em sua montagem em São Paulo, mas tive o privilégio de ver Eunice atuando de maneira impecável, com momentos de grande valor artístico.
Eunice, que prima pelo bom gosto de repertório, comprometida que sempre foi com a arte, brilhou especialmente nessa noite, com verdadeira paixão, que temos que ter pelo teatro.

A autora, jornalista, guionista, dramaturga, Joan Didion, escreveu uma história de amor, dessas que se conta à volta da lareira.

No centro do palco, Eunice sentada numa poltrona, falando para a plateia, explica que “Pensamento Mágico", é uma expressão que aprendeu em Antropologia, usada em tribos que acreditavam que, se fizessem um sacrifício a uma divindade, um desejo seria concretizado.
Em “O Ano do Pensamento Mágico", Joan Didion conta como a morte súbita do marido, o escritor John Gregory Dunne, com quem viveu cerca de 40 anos, seguida da morte da filha, Quintana, se refletiram na sua vida.
Ficamos a pensar sobre o acaso, o amor, a impermanência, a impotência perante a perda, em nossas relações profundas.
Fomos durante todo o tempo da peça, embalados, pela voz da Eunice coberta de musicalidade e profundidade.
Diogo Infante em sua direção sutil, elegante e precisa, deu suporte no processo de criação de Eunice. Acreditando na intuição e, capacidade de composição, da grande atriz, foi um perfeito espelho, proporcionando um excelente resultado.
A cenografia e iluminação, que funcionam quase como personagens a contracenar com Eunice e, a música composta para o espetáculo, somam de maneira impecável.
No auge das sensações do espectador, Eunice em plenitude, diz sua última frase e sai. No palco, vemos as ondas do mar, em um vídeo…
Muitos choravam e, por um longo tempo, todos aplaudiram com a emoção de ter confrontado com suas vidas, suas memórias, com a certeza da unidade deixada nessa mágica noite por Eunice.

12 comentários:

carla disse...

Eunice Muñoz é uma grande Dama do Teatro Português,uma sas maiores.
Deve ser um grande prazer poder passar alguns momentos com ela.
Excelente artigo Vera.
Bjs

Serenade disse...

Agradecida Carla querida!
É sempre bom ter você por aqui.
Beijares alegrares

Tereza disse...

Querida Vera, parabéns pelo texto! Que privilégio poder compartilhar tanta cultura... Você sempre nos dando momentos de grande magia. Ver essa atriz no palco, com certeza é uma experiência muito rica. Beijos

Serenade disse...

Seria bom que você estivesse aqui em Lisboa para irmos juntas... Tenho certeza, que você iria gostar muito desse espetáculo, Tereza!
Beijares e abraçares

renato pagnano disse...

Oi Vera
Grato, sempre da muita sorte e apoio aos muitos projetos, o artista não para de criar nunca, seu site oficial está lindo a sua altura, parabéns !!!

Serenade disse...

Renato querido,

Gostei muito de sua visita! Agradecida pelas boas palavras de incentivo.
Beijares e abraçares

fernanda.luisa7 disse...

"Para ser grande, sê inteiro:nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive."

Inove em 2010, com Amor, Alegria e Arte!

Fernando Pessoa.

Maria Flor.........te amo.

Flor disse...

"Para ser grande, sê inteiro:nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive."

Inove em 2010, com Amor, Alegria e Arte!

Fernando Pessoa.

Te amo.

Flor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Serenade disse...

Gostei muito de sua visita Maria Flor!
Beijares alegrares com Amor, Alegria e Arte!

fernanda.luisa7 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Walmir disse...

Mana de ares,
não conheço o texto, mas me deu ganas de pregar os olhos nele. Sabe onde encontro? E pensamentos mágicos socorrem os viventes em quadras de desconfortos, não é? Vou lendo e comentando.
Paz e bom humor, sempre
http://walmir.carvalho.zip.net