terça-feira, 17 de março de 2009

Ver em pintura, Ver a pintura, Ver a, Vera

Ser em pintura, ser a pintura, alterar, inteirar.
Se não podes me ver nem pintada, serei arteira, matreira em cada recanto desse museu.
"Não te posso ver nem pintado", exposição permanente do Museu Colecção Berardo, propõe um livre percurso pela figuração na arte contemporânea, tendo a figura humana como protagonista.

“Um retrato pintado com a alma é um retrato, não do modelo mas do artista.”

Na foto, uma das obras em exposição: Revelations de Damien Deroubaix .

As renovações no museu passam ainda pela inauguração de uma nova exposição temporária, "Pipedream" ou “sonho irreal e fantástico”. Com esse trabalho, o artista francês Alexandre Perigot apresenta desde pinturas de poços de petróleo em fogo até uma sensual bailarina.


Diálogo com os auto-retratos de Pedro Cabrita Reis e sua pintura espelho.

“…vejo que por detrás das órbitas dos seus olhos se estende um mundo inexplorado, mundo de coisas futuras,
e nesse mundo qualquer lógica está ausente.»

Interagi com a experiência de luz, projeção e imagem-movimento de Ann Veronica Janssen.


Apreciei ainda, na exposição: Andy Warhol com a sua Judy Garland, Francis Bacon com o “Édipo e a Esfinge Segundo Ingres, Giorgi Morandi com sua Natura Morta, David Hockney com seu “Quadro Evidenciando Tranquilidade”, Philip Guston (sem título), e Paula Rego: Vanitas, um tríptico inspirado num conto de Almeida Faria.
As vezes fico na frente de um quadro e tenho medo de cair dentro dele, e sentir todas emoções do pintor, revelar o seu invisível, traduzir o seu mundo…
Foi especial o acesso aos espaços mágicos da poesia dessas pinturas e o contracenar com a magia desses artistas.
"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso cante,chore, dance e viva intensamente antes que a cortina se feche" (Charles Chaplin)

12 comentários:

triliti star disse...

um excelente blog, onde a cultura é a personagem principal.

betinha disse...

"As vezes fico na frente de um quadro e tenho medo de cair dentro dele, e sentir todas emoções do pintor, revelar o seu invisível, traduzir o seu mundo…" (vera barbosa)
Eu gosto dessa sua sensibilidade explosiva, pq estar dentro de um quadro é a coisa mais doida que eu já li sobre o que é experimentar mesmo a arte, enlouqueci com isso!
Sentir, sentir, sentir....a arte nos faz isso!
Estupenda menina

carla disse...

Lindissimo video...música excelente.

Serenade disse...

Beth,
Tive algumas experiências, consideradas loucas, de entrar nos quadros... Achei que nunca iria contar, mas criei coragem de assumir, rsrs Depois soube que na china, há lendas que diz que certas pessoas nasceram para perder-se em quadros, outras, são afogadas por eles...é a lenda de wang fo, Marguerite Yourcenar a recontou em Contos orientais...
Beijares e abraçares

Serenade disse...

Triliti Star,
Também gostei muito de seu blog! Volte sempre
Beijares e abraçares

Serenade disse...

Carla querida,

Gostei muito dessa música. Ouvi umas trezentas músicas árabes antes de escolher essa, rs
Beijares musicares

Priscila disse...

Vera querida,
nem todo mundo nasceu para se perder numa pintura, como diria o grande mestre chinês, Wang-fo, o lendário pintor das águas.
parabéns!!!
lindo e divertido...
beijos
helô

Serenade disse...

Helô querida,

Deixei uma resposta acima para a amiga Beth, dizendo que havia aprendido sobre a lenda "A Salvação de Wang-Fô". Você falou sobre a inspiração que a Marguerite Yourcenar, buscou no Oriente, tocando a universalidade, com seu pintor das águas... Sim; Você
sempre acrescenta de maneira brilhante as histórias... Agradecida!!!
Beijares e abraçares

Adélia Carvalho disse...

Bonita essa imagem de sentir-se contracenar com o quadro, prestes a cair dentro dele...Algumas obras são transportadas para a nossa vida tornando-se mais do que algo visto, mas algo vivido. Abraços.

Serenade disse...

Adélia, tenho a sensação de penetrar em algumas pinturas… É como se eu percebesse o percurso do pintor na composição da obra, desde o momento de sua inspiração…
Olho para o quadro e aparecem outras imagens, que não estão impressas,e imagino as sensações do artista no momento da criação. A arte provoca-me transformações intensas,"tornando-se mais do que algo visto, mas algo vivido."
Agradecida! Beijos com Alegria, Amor e Arte!

Maria Afonso Sancho disse...

olá Vera!
Finalmente encontrei-te na net.
Vou voltar e ler com atenção.
depois então comento.
Gosto muito de ti e adorei voltar a ver-te.
bj
M.

Serenade disse...

Olá Maria Afonso,
Adorei voltar a ver-te também, foi muito especial nosso reencontro!
Agradecida pela visita aqui no blog.
Beijares e abraçares